Pela mão de Marina Bertolami, o Congresso das Garrafas está em destaque no Traço deste trimestre. Disponível com o Jornal Construir 296.



O atelier Tiago do Vale Arquitectos foi solicitado para a intervenção de estruturação de uma loja de vinhos e bebidas espirituosas, na periferia de Braga e a resposta teve resultado no “Congresso das Garrafas”. O cliente e proprietário da loja Pedro Araújo recorreu ao arquitecto Tiago do Vale para requisitar uma solução para a sua loja que fosse capaz de ter em exposição mais de mil garrafas de origens diversas, desenhada de forma modular e adaptável a diversas localizações.

A localização da loja, tendo em consideração a regalia da paisagem natural sobre o rio Este que as duas frentes em vidro proporcionam, implicou uma intervenção específica e determinou uma deliberação mais cuidadosa que um mero desenho genérico.

A loja, que ocupa uma área de 144 m2 e situada numa zona residencial, disposta com as suas frentes em vidro, relaciona-se em simultâneo com um parque atravessado pelo rio e com o contexto urbano em redor, o que constituiu, para Tiago do Vale, uma oportunidade invulgar de trabalhar a envolvência entre o interior e o exterior.

Sob o lema “não é só um lugar para visitar, é um lugar para estar”, e estabelecendo um compromisso entre a modularidade e o individualismo das mais de mil garrafas que seriam a grande atracção deste lugar, o desenho modular de Tiago do Vale trouxe ordem à apresentação dos produtos, ao que o arquitecto explica que, “considerando que tínhamos mais de mil garrafas diferentes, cada uma com a sua forma, tamanho, cor e rótulo, a modularidade do desenho, com o seu ritmo e repetição, introduziu uma ordem deliberada no que seria potencialmente um contexto caótico e ruidoso”. A principal necessidade foi de metodizar visualmente a organização das garrafas e reforçá-la pela iluminação, mas também de “atingir um ponto de equilíbrio: se exagerássemos nessa sistematização, cada produto individual perder-se-ia no seu contexto”, acrescenta Tiago do Vale.

Cada módulo viria a ser composto por quatro caixas de exposição em pinho, com secções de armazenamento na parte inferior. A paleta de cores escolhida foi de tons escuros e ricos, que invocassem um sentido de conforto e fausto, ao mesmo tempo relacionando-se numa oposição perspicaz com os elementos em madeira. O coalização entre o individualismo e a modularidade foi estabelecida na criação destas caixas, cujos desenhos foram traçados tendo em consideração as características de apresentação e das obrigações de repouso de cada de garrafa. “Existe uma imagem reconhecível de como uma loja de vinhos deve ser, com paredes intermináveis de estantes de garrafas e caixas de pinho, mas sentimos que esse tipo de loja acaba por banalizar o produto. Sem deixar de estabelecer uma ligação com as garrafeiras tradicionais, através da utilização de elementos em madeira de pinho, quisemos apresentar o produto como algo realmente especial, como um artigo de luxo, portanto a imagem que sempre tive na minha mente foi a de uma joalharia”, conta Tiago do Vale.

Potenciar a transparência

De maneira a potencializar a transparência da loja, relocalizaram-se as instalações sanitárias para que o espaço fosse isento de obstruções, e que no seu interior se proporcionasse uma vista directa para a rua. Esta opção veio projectar o espaço comercial para a rua, o que trouxe de forma convidativa o conteúdo interno para o exterior, enquanto que, paralelamente, permitiu a transposição da rua e da paisagem natural para o ambiente intrínseco.

O resultado desta demanda foi o “Congresso das Garrafas”, assente no slogan “Find your favourite wine and spirit”, já apto a satisfazer os apreciadores de Baco e da cidade de Braga. O atelier de Tiago do Vale, vencedor do “Building of the year 2014” promovido pela publicação internacional Archdaily, e do A+ Awards 2015, vem cimentar a diversidade do seu portfólio com este projecto de intervenção na cidade de Braga. Em curso no decorrer deste ano, o atelier de Tiago do Vale tem ainda em carteira projectos como o Museu da Cerca e o Parque Ribeirinho de Poço Quente.