O Durban Skytree em destaque na Revista Anteprojectos.



Como providenciar habitação económica aumentando a densidade; como revitalizar centros urbanos monofuncionais contra a especulação imobiliária; como construir de forma sustentável e mais rentável; como construir maior com uma menor pegada de CO².

A torre Skytree, localizada em Durban, África do Sul, tenta dar resposta a estes pontos, criando um ponto de referência que se relaciona tanto com a dimensão da cidade e da paisagem como se integra harmoniosamente na vida e escala do bairro em que se insere.

Focando-se principalmente em programa habitacional (com mais de 10.000 m2 de apartamentos simples, duplos, triplos e quádruplos) e equilibrando a crescente terciarização desta zona da cidade, este edifício é construído essencialmente em madeira de Pinus radiata (tratada e laminada), obtida localmente de plantação sustentável, e outros derivados de madeira. A madeira proporciona uma estrutura leve, robusta e durável mas é, também, uma solução particularmente eficiente em termos de custo. É, igualmente, um produto altamente sustentável, absorvendo CO² durante o seu processo de produção.

O esquema estrutural em treliça de madeira prevê elementos de dimensão moderada, interligados por ligações resistentes de aço. Esta solução permite uma gestão de transporte simplificada durante a fase de construção e transforma, especialmente, este sistema construtivo numa solução altamente escalável e utilizável nas mais variadas dimensões e localizações.

É característica deste edifício uma “segunda pele” composta por placas de cortiça sobrepostas. Esta fachada flutuante controla a intensidade do sol a norte (predominante neste hemisfério), filtrando a sua luz e criando um efeito de chaminé térmica ente os painéis e a fachada interior de vidro, permitindo uma solução passiva mas muito eficiente para o controlo climático e de ventilação.