Desenhada por Francisco Caldeira Cabral (pioneiro da arquitectura paisagista portuguesa), com contributos de Raul Lino, a Quinta da Agrela foi conformada por Carneiro Pacheco, proprietário, professor de Direito na Universidade de Lisboa e Ministro da Educação Nacional de 1936 a 1940.

Imponente, esta quinta constituía uma unidade agrícola vasta, complexa e autónoma, focando-se na produção de cereais, vinho e azeite, assim como de gado bovino, porcino e equino.

Esvaziadas de utilidade em relação à realidade agrícola contemporânea, oferecemos novas funções a estas grandes estruturas, devolvendo-as, através de novos usos, à vida e à dignidade originais.