O Congresso das Garrafas em destaque no último número da Mobiliário em Notícias.



O projeto para o “Congresso das Garrafas”, a cargo da Tiago do Vale Arquitectos, é uma resposta aos desafios particulares que uma loja de vinhos e bebidas espirituosas, em circunstâncias únicas, colocou. Localizando-se na periferia de Braga, no norte de Portugal, junto à Universidade do Minho, o cliente requisitou uma solução capaz de apresentar mais de mil garrafas diferentes, desenhada de forma modular e adaptável a outras localizações.

Simultaneamente, a localização eleita pelo cliente possuía uma série de características interessantes que pediam uma intervenção específica, mais deliberada do que um desenho genérico: uma paisagem natural sobre o rio Este e a luz de poente, muito procurada pela cidade e pelos estudantes em particular como espaço de lazer; e uma loja com duas frentes em vidro, constituindo uma oportunidade invulgar para trabalhar a relação interior/exterior.

Nas palavras de Tiago do Vale, “apresentaram-se três questões que acabaram por ser os vetores de desenvolvimento deste desenho: como se mostram mais de mil referências diferentes tratando cada uma das garrafas como um produto único e especial; como se trata essa singularidade com uma solução modular; e como se desenha uma solução modular que, mesmo assim, dê uma resposta sem compromissos às características particulares de um lugar”.

O melhor compromisso entre a modularidade e a individualidade encontrou-se desenhando quatro tipos diferentes de caixa de exposição, sendo que cada um dos desenhos é uma consequência precisa das formas particulares, das características de apresentação e das necessidades de repouso de cada tipo especfico de garrafa.

Cada módulo é composto por quatro caixas de exposição em pinho, com uma área de armazenamento por baixo. Escolheu-se para toda a loja uma paleta de tons ricos e escuros, invocando um sentido de luxo e conforto, e contrastando com elementos importantes em madeira de pinho.

“Existe uma imagem reconhecível de como uma loja de vinhos deve ser, com paredes intermináveis de estantes de garrafas e caixas de pinho, mas sentimos que esse tipo de loja acaba por banalizar o produto. Sem deixar de estabelecer uma ligação com as garrafeiras tradicionais através da utilização de elementos em madeira de pinho, quisemos apresentar o produto como algo realmente especial, como um artigo de luxo, portanto a imagem que sempre tive na minha mente foi a de uma joalharia”.



The project to the “Congress of the Bottles”, whose responsibility is on Tiago do Vale Architects, is an answer to particular challenges, that a store of wine and liquors, in absolute unique circumstances, has placed.

Located in the outskirts of the city of Braga, in northern Portugal, next to Minho’s University, the client required a system to display over a thousand different wine and spirits bottles, designed in a modular fashion and capable of being adapted to different locations. At the same time, the location the client brought to the table had interesting characteristics that asked for a specific, non-generic intervention: a beautiful natural setting by the Este river, facing the sunset, already a leisure site favored by the city and the University’s students in particular; and a store with two glass fronts that presented an unusual opportunity to play with the inside/outside relationship.

According to Tiago do Vale, “three questions presented themselves as the development vectors for the project: how does one display over a thousand different references while still treating each bottle as a special, unique product; how does one address that uniqueness with a modular solution; and how does one design a modular solution that still answers, with no compromise, the particular characteristics of a place”.

The best balance between modularity and individuality was found by designing four different types of display boxes, with each design coming as a precise consequence of the particular shapes, presentation characteristics and resting needs of each specific kind of bottle.

Each module consists of four pinewood display boxes, with a storage area underneath. A palette of dark rich tones was elected throughout the store to convey a sense of luxury and coziness, contrasting with pinewood features.

“There’s a recognizable image of what a wine store should be, with endless walls of bottle shelfs and pine boxes, but we felt this kind of wine store ended up banalizing the product. Though still establishing a connection with the traditional wine store through the use of pine wood elements, we wanted to present the product as something really special, like a luxury item, so I always had the image of a jewelry store in my mind.”